domingo, 7 de setembro de 2014

125 anos de LUZ - homenagem a Bernardo Mascarenhas


Monumento à Bernardo na Praça Antonio Carlos

Wilton Araujo


O cineasta Wilton Araujo postou alguns videos que são importantes para quem quiser conhecer um pouco mais sobre o grande empreendedor Bernardo Mascarenhas.

"O empreendedor Bernardo Mascarenhas e os 125 Anos de Luz" 
http://youtu.be/WprRQ01LBWc 

Um pequeno resumo da história do empreendedor Bernardo Mascarenhas em Juiz de Fora no final do século XIX. Este vídeo se refere ao Concurso "O empreendedor Bernardo Mascarenhas e os 125 Anos de Luz" que é para toda a rede de ensino fundamental de Juiz de Fora/MG.


O video Hulha-Branca:

http://youtu.be/b-GneFxON0k

A trajetória e a luta do industrial Bernardo Mascarenhas, pioneiro na indústria têxtil no estado de Minas Gerais, que com coragem e determinação, usando de sua astúcia e inteligência, promoveu o mais belo dos espetáculos, a "luz"!, que com a extração da energia das cataratas de Marmelos tornou-se a primeira iluminação pública hidroelétrica da América do Sul em 05 de setembro de 1889.

Direção, produção e roteiro: Wilton Araújo
Diretor de fotografia: Wagner Soares
Diretora de Arte: Emmanuelle Vaccarini
Fotografia: Adriano Medeiros
Som/iluminação: Anderson Medeiros
Making of: Fábio Fernandes
Assistentes de produção: Mário Marques e Rilson Coura
Continuista: Thais Vasconcelos
Edição e finalização: Vox Audiovisual
Still: Wilson de Carvalho
Trilha sonora: Miguel junno
Música: Chafic Arbex

Elenco: Daniel Corni -- Wilton Araújo -- Steven Kyle -- Cameron Felt -- João Magalhães e Mauro dos santos

Visite o blog: www.wawiltonaraujo.blogspot.com.br

***
Dia 05 de setembro de 2014 - data da comemoração dos 125 anos de luz


segunda-feira, 9 de junho de 2014

Serviços de design gráfico e web design

Para quem não conhece meus serviços de Design tenho alguns exemplos no meu site: http://rosevalverde.art.br.

segunda-feira, 20 de janeiro de 2014

Nossa homenagem ao Décio e Nívea Bracher a HQ "A conquista - início do CCBM"

No dia 5 de abril de 2011 postamos aqui no nosso blog A HISTÓRIA DA GALERIA CELINA

No dia 9 de dezembro morreu a artista Nivea Bracher com 74 anos e seu irmão Décio Bracher nessa última sexta, dia 17 de janeiro também faleceu aos 81 anos. Sentimos  muito essa perda, não só por serem duas pessoas tão afetuosas e que gostavam muito de compartilhar ideias e emoções mas perdemos também pessoas que foram atuantes na arte  e lutaram muito pela preservação do patrimônio artístico e cultural da nossa cidade. 

No último encontro que tivemos com eles registramos essas fotos:
quadro do acervo de Décio Bracher retratando a Fábrica Mascarenhas

Sonia Oliveira e Alcione Bracher (filha do pintor Frederico Bracher, tio dos dois artistas) integrantes do projeto. 



quadro de Décio Bracher retratando uma cena do Rio de Janeiro mostra a sobreposição da imagem de um castelo demolido e a fonte que foi construída em seu lugar.

No acervo da família um quadro retratando a Usina de Marmelos

Foto de arquivo Rogério Teixeira - Nívea segurando o cartaz.


Eu, Nívea e Décio quando víamos os desenhos da história em quadrinhos na qual os dois eram também personagens.

A melhor forma que temos para homenageá-los é exibindo dessa vez a história completa que conta o início do CCBM.

A CONQUISTA - INÍCIO DO CCBM















A conquista - Início do CCBM - Roteiro de Rose Valverde e Sonia das Graças Oliveira Silva, storyboard de Sara Maria Manso Siqueira, ilustração de Rosangela Martins e Pablo de Oliveira Fernandes (mãe e filho - ex-alunos de desenho artístico e desenho em quadrinhos do CEM), colorização digital e letramento de Rose Valverde. 

Baseado em depoimentos de Nivea, Décio e Carlos Bracher, Henrique Simões e pesquisas de Alcione Bracher e Sonia Oliveira.




Essa história infelizmente ainda não foi impressa. Nosso projeto já está pronto faltando a impressão final. Gostaria que mais pessoas conhecessem a história do início do CCBM assim como a história da Galeria Celina e a paixão que toda a família Bracher sempre dedicou a Arte e a Cultura.

Somente valorizando a nossa memória artística e afetiva poderemos passar para nossos jovens valores que com certeza irão ajudá-los na hora de escolher seus caminhos e buscar a concretização de seus sonhos.